Anuncie

Palocci afirma que pré-sal era 'bilhete premiado' em novos depoimentos


BRUNA NARCIZO, FOLHAPRESS - O ex-ministro Antonio Palocci disse às autoridades de Brasília que a descoberta do pré-sal foi encarada como um "bilhete premiado" para o governo do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

'O delírio do pré-sal passou a permear as ações do governo, ações do Congresso Nacional, ações de governadores e prefeitos pelos royalties, em cima de um dinheiro que estava a 7.000 metros de profundidade", disse ele, segundo relatório da Polícia Federal.

Os documentos estão na apelação do ex-ministro envolvendo crimes de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo sondas da Petrobras. Eles perderam o sigilo nesta quarta (10).

Em outro relatório, feito pelo Ministério Público Federal de Brasília, responsável pela Operação Greenfield, Palocci detalha os "projetos mirabolantes" para a construção de 40 sondas feitas com empresas nacionais.

O ex-ministro afirma que os contratos "gerariam R$ 25 bilhões que poderiam ser foco para propinas para o partido". Segundo ele, o montante representaria o "financiamento de quatro ou cinco campanhas para presidente".

Também foi juntada ao processo uma petição feita pelos advogados de Palocci. Eles listaram 19 itens de provas que o ex-ministro entregou às autoridades depois de celebrar seu acordo de colaboração com a Polícia Federal.

Segundo a defesa, Palocci entregou dois contratos fictícios, notas fiscais, emails, extratos bancários, comprovantes de rastreadores veiculares e agenda virtual de sete anos com mais de 7.000 páginas.

Os dados estão em uma petição protocolada pelos advogados Tracy Reinaldet e Matteus Macedo no TRF-4 (Tribunal Regional Eleitoral a 4a Regiao) pedindo redução da pena de Antonio Palocci.

O ex-ministro foi condenado pelo juiz Sergio Moro a 12 anos de prisão no processo sobre a compra de sondas para a Petrobras. O recurso da condenação será julgado no dia 24 deste mês.

No documento, os advogados ainda afirmam que o ex-ministro saiu da cela 63 vezes e ficou à disposição da PF por 141 horas durante o período de comprovação das provas. Com informações da Folhapress.

10 out 2018


Por Redação
Anuncie

Artigos Recentes

PT não é prejudicado por 'fake news', mas pela 'verdade, diz Bolsonaro

PT não é prejudicado por 'fake news', mas pela 'verdade, diz Bolsonaro

em Política

O capitão reformado usou o Twitter para responder Haddad, depois que este citou matéria da Folha de S.Paulo sobre empresas que estariam comprando pacote de mensagens contra o PT

Após avaliação, médico diz que ida a debate ‘depende de Bolsonaro’

Após avaliação, médico diz que ida a debate ‘depende de Bolsonaro’

em Política

Cirurgião foi à residência do capitão reformado, na Barra da Tijuca, para uma nova avaliação, nesta quinta-feira (18)

Médicos voltam a avaliar Bolsonaro hoje e podem liberá-lo para debates

Médicos voltam a avaliar Bolsonaro hoje e podem liberá-lo para debates

em Política

A partir dos exames desta quinta, candidato do PSL disse que tomará uma decisão sobre embates nas TVs; Haddad tem cobrado a participação do adversário

PSDB fará revisão após eleições, diz Anastasia sobre derrotas nas urnas

PSDB fará revisão após eleições, diz Anastasia sobre derrotas nas urnas

em Política

Senador concorre ao governo de Minas Gerais no segundo turno

Anuncie